fbpx
Botijão de gás de 13 kg já chega a custar até R$ 160

Botijão de gás de 13 kg já chega a custar até R$ 160

Mesmo que recentemente a Petrobras tenha anunciado um reajuste que diminuiria o preço médio do botijão, o valor médio do botijão de gás de 13 kg segue subindo e já chega a R$ 113,66, o que representa mais uma elevação em comparação aos R$ 113,54 anteriores.

Em algumas regiões do Brasil, já é possível observar o preço do gás de cozinha no patamar de R$ 160, de acordo com os dados recentes divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. O Mato Grosso foi o estado que registrou o maior preço, enquanto que no Maranhão é possível encontrar a menor cotação do país, comprando um gás de 13 kg por R$ 78.

A pesquisa ocorreu entre os dias 10 e 16 de abril, em uma pesquisa que envolveu até 3.881 postos pelo país. O valor médio nacional já está em R$ 120, com 17 estados já passando inclusive do preço da média nacional. 

Redução do preço do gás ainda não chegou ao consumidor comum

Apesar dos últimos movimentos para reduzir o preço do gás de cozinha, o levantamento da ANP mostra que a redução do preço que aconteceu no início de abril por parte da Petrobras, ainda não chegou e dificilmente vai chegar ao consumidor. No dia 9 deste mês, a estatal anunciou uma redução de 5,58% para o preço do botijão de gás antes de chegar as distribuidoras.

O IBGE coletou uma série de dados que mostrou o aumento do preço do gás nos últimos 12 meses, com o preço do gás de cozinha de 13kg que já subiu 29%, que representa quase 3x mais do que a inflação no Brasil no período.

Tentando encontrar uma solução para aliviar a situação dos mais pobres, o Governo Federal começou a pagar um vale-gás juntamente para os beneficiários do Auxílio Brasil Para o atual mês, o valor fixado é de R$ 51, que já não é mais metade do preço médio de um botijão de gás de 13 kg.

É esperado que nos próximos meses seja feito um reajuste no preço do Auxílio Gás, chegando aos R$ 60. Pelo menos 5,39 milhões de famílias devem receber o benefício social.

De que forma ficam os estabelecimentos nessa

Em relação aos estabelecimentos, a decisão fica de ou mudar os seus fornecedores ou começar a aceitar a redução da sua margem de lucro, contando que o cliente siga pagando a conta mesmo com os constantes aumentos.

Utilizar menos o gás de cozinha pode ser uma das soluções. As comidas que não necessitam de muito tempo para completar o seu preparo são as mais recomendadas neste momento, evitando para quem está reduzindo as contas preparar comidas como bolo, pois o seu tempo de preparo é longo acaba deixando o tempo útil do botijão ainda menor.

Já para estabelecimentos como restaurantes, a solução pode ser buscar outros fornecedores com o intuito de manter mesmo o preço do gás de cozinha e ainda conseguir preservar a sua margem de lucro. Ainda assim, é bem provável que o lucro diminua, pois alguns clientes já estão começando a deixar de pagar pelo gás tradicional e adotar o fogão a lenha.

Folha Sudoeste


Leia Este

Tempo de Aprender Curso De Alfabetização

Tempo De Aprender Cursos Para Desenvolvimento Da Educação

Programa Tempo De Aprender Cursos Para Desenvolvimento Da Educação disponibilizado pelo MEC de forma gratuita …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *