fbpx
Conheça o Refood, aplicativo para criado para reduzir o desperdício de alimentos

Conheça o Refood, aplicativo para criado para reduzir o desperdício de alimentos

Já pensou em fazer compras ou sair para almoçar e pagar um valor bem mais em conta? Para isso que o ReFood foi desenvolvido. O aplicativo tem como objetivo reduzir os níveis de desperdícios de alimentos e incentiva os clientes a consumirem produtos de estabelecimentos que têm sobras de alimentos.

Fazendo isso, os clientes ganham um desconto de, no mínimo, 70%. Quer saber mais sobre o que é e como funciona o aplicativo? Continue a leitura conosco.

Como surgiu a ideia do aplicativo?

O aplicativo ReFood começou a circular no fim de agosto de 2021 em São Paulo, porém, só agora em 2022 vem ganhando força e reconhecimento entre as marcas e seus consumidores. Foi desenvolvido inspirado em outro modelo de aplicativo para reduzir desperdícios que surgiu na Europa. A startup foi criada pelos empreendedores Marcos Nofuentes, André Paraense, Luciano Touguinha e Pietro Lancieri.

Através do aplicativo ReFood você pode comprar alimentos que estão próximos da data de validade em supermercados, restaurantes e padarias. Ainda neste mês, está prevista a estreia de uma espécie de projeto-piloto do aplicativo no Hotel Ibis Styles Faria Lima com diversas ofertas de produtos para o café da manhã.

Duas outras marcas poderão entrar no portfólio da startp ainda este mês: o supermercado Quitanda, da cidade de Pinheiros, e a rede de supermercados Dia.

A comida ofertada no aplicativo é uma surpresa para o cliente, não é possível escolher

O responsável pelo marketing e conteúdo do aplicativo, o espanhol Marcos Nofuentes, explicou em uma entrevista que os estabelecimentos participantes deverão seguir duas únicas regras: oferecer opções com um preço justo e de qualidade.

O ReFood fica apenas com uma taxa fixa de R$ 5 por venda realizada pela plataforma.
O maior desafio do aplicativo é fazer com que o cliente não se sinta enganado ao realizar uma compra. Além disso, é importante também que o estabelecimento não se sinta lesado.

E como funciona essa “surpresa” da compra? O cliente escolhe no aplicativo e paga por uma caixa surpresa. Ou seja, ele não poderá escolher pelos itens que irá consumir. A retirada dos produtos é feita no próprio estabelecimento e não há a opção de delivery.

O dinheiro do cliente só é estornado em casos onde os produtos da caixa estiverem impróprios para o consumo.
Marcos Nofuentes ainda esclareceu que mesmo trabalhando com produtos que poderiam ser descartados pro outros clientes, todos são entregues com boa aparência.

Se você quer comprar produtos de uma caixa surpresa em uma padaria, pode ter certeza que o que irá em sua encomenda são os produtos que não foram vendidos na última janela de horários. Eles poderão não estar tão frescos como estariam se fossem comprados pela manhã, mas ainda assim estarão bons para serem consumidos.

Desta forma, todos saem ganhando: os clientes, que poderão comprar com um desconto de até 70%, o estabelecimento que poderá incrementar sua margem e o planeta, uma vez que o desperdício de alimentos é um problema e uma grande ameaça. Embora os números não sejam revelados, o empreendedor afirma que o mês de janeiro foi superior ao mês de dezembro nas vendas. Ele acredita que a inflação tenha contribuído para que os brasileiros repensem o consumo.

Quais são os estabelecimentos que você pode encontrar no aplicativo?

Entre as marcas de produtos cadastradas no ReFood, estão os restaurantes Elvira e Bacuri, a Padaria da Esquina, o hortifrúti HortiSabor e a loja de The Good Cup Donut, além do St. Marche e do Let’s Poke.
Ao escolher a opção desejada, o cliente verá na tela do aplicativo a relação do valor com o desconto já aplicado e com o valor original.

A plataforma mostra aos clientes se os produtos que compõem as caixas são indicados para os vegetarianos ou para os carnívoros, mesmo que não revele os ingredientes. Um problema nessa surpresa é que, infelizmente, pessoas que têm algum tipo de restrição alimentar só poderão ficar sabendo se a refeição tem algum item que pode provocar alergia quando vão retirar o produto.

Se você fizer uma compra em algum supermercado por meio do ReFood, a caixa poderá conter legumes, bolachas, frutas e cereais. Quem faz compras em padarias, poderá receber em suas caixas pães de queijo, croissants e pastéis de Belém. As caixas de comidas japonesas poderão conter niguiri, sushis e uramakis.

Por enquanto, o aplicativo ainda está disponível somente em 4 bairros da cidade de São Paulo: Vila Madalena, Pinheiros, Vila Olímpia e Itaim Bibi, todos bairros de classe média alta.

Conclusão

O objetivo da startup é estar disponível e atender toda a capital paulista até o fim deste ano e, deve chegar às capitais do Rio de Janeiro, Fortaleza ainda no próximo ano.

A ideia é tornar a comida algo acessível para todos. É algo novo, é preciso trabalhar a cabeça das pessoas.
O aplicativo ReFood está disponível para download gratuito em iOs e Android. Gostou desta dica? Conte para nós.

Folha Sudoeste


Leia Este

PicPay Vagas Abertas Na Fintech

Como entrar em contato com o SAC do PicPay?

Está procurando contato através do PicPay? Sendo assim, preparamos uma lista da qual temos um …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *