fbpx
Com aumento da inflação, empresários estão reduzindo o conteúdo das embalagens

Com aumento da inflação, empresários estão reduzindo o conteúdo das embalagens

Uma estratégia do varejo em um momento tão complicado da economia têm incomodado o Governo Federal, apesar de não ser ilegal. O que acontece é que diversos supermercados do país estão optando por reduzir o conteúdo impresso nas embalagens, em virtude do aumento da inflação.

Quem vai ao supermercado está percebendo o aumento dos preços, que vai desde os alimentos até os produtos de limpeza. Porém nem sempre a inflação impacta apenas na mudança de preço, pois existem outras situações que podem refletir os problemas econômicos, que vai desde a redução das unidades ou mesmo no peso dos produtos.

Entenda como é reconhecida essa estratégia de varejo

Essa estratégia de varejo, é conhecida como “reduflação”. Essa prática não é ilegal no país, porém as empresas precisam esclarecer o motivo de estarem realizando essa mudança nas embalagens.

Ainda na semana passada, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Anderson Torres, assinou um documento que aumentou de três para seis meses o prazo em que os varejistas podem informar as alterações das informações na embalagem.

Também recentemente, o Ministério da Justiça abriu averiguações para apurar a conduta de empresas por possíveis alterações no volume de embalagens e que não teriam sido prestadas as devidas informações aos consumidores.

Alguns consumidores estão duvidando da má fé de certos empresários

Ainda que para a maior parte dos empresários no país seja difícil conviver com o aumento da inflação, obviamente que nem todos serão honestos. Um caso que ficou bastante famoso recentemente nas redes sociais, foi a da dona de casa Lisandra Azevedo, de 27 anos, percebeu que alguns rolos de papel higiênico que ela cobrou estavam menores.

Várias marcas teriam passado a vender rolos de 20 metros, sendo que o natural na venda de um rolo de papel higiênico era de 30 metros. Ela completa em sua reclamação falando: ‘Diminuir o preço que é bom, nada”, reclama.

O Procon está tratando de fazer uma série de orientações em diversos estados, recomendado atenção aos rótulos e que as pessoas adotem realizar uma referência a partir de valor por kg, litro ou metro. Se verificar uma redução não expressa na embalagem, o consumidor tem o direito de procurar os órgão de defesa do consumidor, até mesmo podendo acionar um processo na Justiça.

Comunicado da Portaria do Ministério da Justiça

O primeiro passo que o fabricante precisa estar atento é em relação à quantidade. Ele é obrigado a informar quando acontece uma redução do volume do produto na embalagem, sendo que agora poderá ser feito em até seis meses. É necessário destacar a quantidade que consta na embalagem tanto antes como depois.

Quanto a visualização, a declaração deve ficar em um local de fácil visualização, em caixa alta, negrito e que faça contraste com o fundo do rótulo. Caso não exista espaço para o declarante na superfície da embalagem, o fornecedor vai poder informar apenas a alteração da quantidade.

Estamos no Brasil em um momento que se repercute a inflação em alta, e a estratégia da “reduflação” deve ficar ainda maior daqui para a frente. A questão é ficar bem atento e pesquisar sempre, mesmo que no momento seja difícil encontrar boas opções de preços nos supermercados, pesquisando por todos os produtos.

Folha Sudoeste


Leia Este

Etec Cursos Gratuitos Governo SP

Inscrição Cursos Gratuitos Etec Em São Paulo 2022

Cursos Técnicos Gratuitos Etec em São Paulo Você por acaso já conhece os cursos da …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *