fbpx

Covid 19: sequelas em pulmões e coração podem melhorar com tempo

Ao longo da pandemia do Covid 19, tem sido divulgadas várias informações a respeito de possíveis sequelas da doença. Com efeito, as pesquisas indicam que de fato a doença causada pelo novo coronavírus causa sequelas nas pessoas infectadas. Porém, um estudo apresentado recentemente indica que tais sequelas não são irreversíveis. Pelo contrário, seus efeitos podem ser tratados por meio de fisioterapia e o devido acompanhamento médico. Ou seja, É possível que se desenvolvam métodos, nos próximos anos, que ajudem pessoas que apresentem alguma sequela devido ao Covid. Assim, trata-se de uma boa notícia relacionada à doença, sendo um dos primeiros estudos apresentados sobre esse sentido.

Tratam-se de conclusões de um estudo realizado no estado do Tirol, na Áustria. Este local é um dos epicentros de infecção do coronavírus na Áustria. O estudo foi apresentado na última segunda-feira (07), em congresso da Sociedade Europeia de Respiração, com apoio da Fundação Europeia de Pulmão. Nos estudos, os pesquisadores recrutaram pacientes internados nos hospitais da Universidade Clínica de Medicina Interna, em Innsbruck, no Hospital St. Vinzenz, em Zams e no Centro de Reabilitação Cardiopulmonar, em Münster. Assim sendo, os pesquisadores avaliaram as condições dos pacientes após 6 e 12 semanas de alta hospitalar. Houve uma terceira avaliação, com 24 semanas, concluída nesta semana, cujos resultados ainda não foram divulgados.

Foram avaliados, ao todo, 86 pacientes entre 29 de abril e 9 de junho. O número aumentou, chegando a 150 participantes na fase atual. A média estária dos pacientes era de 61 anos, sendo a maioria (65%) homens, fumantes (50%) e acima do peso (65%). O tempo médio de hospitalização foi de 13 dias. Na primeira visita, mais da metade dos pacientes apresentava ao menos um sintoma persistente (65% ou 56 pacientes). O sintoma mais comum era a falta de ar, também chamada de dispneia (47% ou 40 pacientes), além de tosse (15% ou 13 pacientes).

Fisioterapia acelera recuperação de danos no pulmão

Ao longo da pesquisa, as análises de tomografia revelaram danos nos pulmões em 88% dos pacientes de Covid 19 analisados após seis semanas de alta hospitalar. Passas 12 semanas em relação à saída do hospital, a taxa de pacientes com danos nos pulmões caiu para 56%. A persistência dos sintomas também foi menor, caindo de 65% para 54%, sendo que destes 39% (31 pacientes) ainda apresentavam dispneia. 15% ainda apresentaram tosse.

Com efeito, em cerca de 15% dos pacientes teve início um programa de fisioterapia e reabilitação pulmonar no início da fase aguda da doença. Segundo o estudo, isso pode estar relacionado a uma melhora mais rápida observada nos pacientes. Os pesquisadores também disseram que os exercícios de fisioterapia e reabilitação são fundamentais para acelerar esse processo. Contudo, a regeneração também pode ser observada em indivíduos que não fizeram fisioterapia.

Regeneração quanto a sequelas no coração

A respeito do coração e os danos causados pelo Covid 19, os médicos perceberam leves disfunções no ventrículo esquerdo, responsável pela diástole -relaxamento da musculatura cardíaca. Contudo, no estudo indica-se que os danos no coração estariam menos relacionados ao Covid em si que com a intensidade dos sintomas da doença em cada caso. Mesmo nos que apresentavam sequelas, elas apresentaram melhora posterior.

Folha Sudoeste


Leia Este

Aumento do combustível frustra os planos de quem deseja comprar carro

Aumento do combustível frustra os planos de quem deseja comprar carro

O sonho de todo o jovem brasileiro ao completar sua maioridade, é tirar sua licença …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *