fbpx
Coronavac Vacina Sinovac

Estudo Do Instituto Butantã Com 75% De Vacinados a Pandemia Pode Ser Controlada

Foi publicado um estudo ao mesmo tempo animador e que chama atenção para a urgência de uma ampliação e aceleração da vacinação no Brasil. Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e do Instituto Butantã (SP) mediram os efeitos de uma vacinação em larga escala no município paulista de Serrana, com 45 mil habitantes.

Em março, para medir a eficácia da Coronavac, o município foi escolhido para uma vacinação em larga escala, abrangendo toda a população adulta da cidade. O resultado mostra queda de 95% nas mortes e de 86% em internações.

Já em abril, Serrana mostrou quedas significativas de contágios e mortes devido ao processo de vacinação iniciado em março. Após registrar 699 casos em março, o número caiu para 251. As mortes passaram de 20 para 6 no mesmo período.

Na cidade, houve aplicação das duas doses da CoronaVac em 98% do público-alvo, que correspondia a adultos com mais de 18 anos, exceto grávidas e puérperas. Antes dessa vacinação em massa, o número de pessoas que procurava unidades de pronto-atendimento (UPAs) para saber se estavam infectadas era entre 160 e 180 pessoas, com aproximadamente 69% de infectados. O número caiu para uma média de 30 a 35 atendimentos diários, com cerca de 25% de resultados positivos depois da vacinação. Veja os estudos do Projeto S (é o nome dado para a vacinação em massa em Serrana): Busca – Instituto Butantan: www.butantan.gov.br/busca?termo=Serrana

Como se chegou ao número de 75%?

Os registros de Serrana apontam para que havendo um número de cerca de 75%, ou 3/4 da população vacinada, a pandemia poderá ser controlada. Mas como se chegou a tal número? Isso se deu de acordo com a metodologia para se desenvolver a pesquisa.

Serrana, de 45 mil habitantes, foi escolhida para a vacinação em massa porque tinha um alto índice de contágio. De acordo com os critérios da pesquisa, a cidade foi dividida em 25 áreas que formaram quatro grupos. Os grupos foram vacinados, um de cada vez, com uma semana de diferença.

Com efeito, a vacinação ainda não havia terminado quando Serrana enfrentou um novo aumento no número de casos. Contudo, o cenário mudou entre o fim de março e o começo de abril. De acordo com a pesquisa, o aumento começou a ser revertido quando dois dos quatro grupos ficaram imunizados com a segunda dose.

Mas o controle se deu quando três dos quatro grupos receberam a segunda dose. De acordo com o Instituto Butantan, logo depois do fim da vacinação, o número de mortes caiu 95% em Serrana.

E o quanto estamos longe disso?

Infelizmente, no entanto, isso é uma realidade ainda distante se pensarmos a nível nacional. Atualmente, o Brasil aplicou duas doses em aproximadamente 10% da população. Já a primeira, houve aplicação em aproximadamente 30%. De toda forma, o exemplo de Serrana serve de referência do que precisamos alcançar para o controle efetivo da pandemia.

Folha Sudoeste


Leia Este

Tempo de Aprender Curso De Alfabetização

Tempo De Aprender Cursos Para Desenvolvimento Da Educação

Programa Tempo De Aprender Cursos Para Desenvolvimento Da Educação disponibilizado pelo MEC de forma gratuita …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *