fbpx
Uso de cheques no país já caiu 93% desde 1995

Uso de cheques no país já caiu 93% desde 1995

Apesar de redução considerável, ainda foram quase 220 milhões de compensações no ano. Nos tempos de Pix, o cheque saiu de uso sem que jovens saibam como foi usado para fazer pagamento de compras, o uso de cheques como método de pagamento continua caindo no Brasil. Levantamento da Federação Brasileiro de Bancos (Febraban) mostra que a queda foi de 93,4% quando comparada ao número de compensações de 1995.

Ao todo, foram 218,9 milhões de cheques compensados em 2021. Em 1995, foram utilizados 3,3 bilhões. A estatística organizada pela federação tem como base o Serviço de compensação de cheques.

2021 também foi o primeiro ano em que todos os dias do ano tivemos o sistema Pix disponível, sistema de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central do Brasil. Por meio dele foram feitas 7 bilhões de transações com R$ 4 trilhões de volume financeiro, e a redução de uso de cheques foi de 23,7%.

Mesmo assim o cheque ainda deve sobreviver mais alguns anos no país

Mesmo que ao longo do último ano nós tenhamos tido um volume significativo de queda na compensação de cheques, o volume financeiro transacionado por cheques se reduziu em proporção bem menor. Em 1995, foram movimentados R$ 2 trilhões por meio de cheques, enquanto no ano passado o valor passou para R$667 bilhões, uma queda de 67,4%.

A diferença em relação ao número que fechou o ano de 2020 foi pequeno, ainda que continuamos a ter uma redução. Com a redução de quase um quarto do número de transações, houve uma redução apenas 0,22% em volume financeiro, que no ano anterior havia sido de R$ 668,4 bilhões. “ O cliente bancário tem deixado, cada vez mais, de usar cheques, e optado por outros meios de pagamento, em especial os canais digitais, que atualmente são responsáveis por 67% de todas as transações feitas no país”, diz em nota Walter Faria, diretor adjunto de serviços da Febraban.

Cheques que foram devolvidos

A Febraban também levanta o número de cheques devolvidos e sem fundos repassados no país. No ano passado, foram devolvidos mais de 18,6 milhões, fatia de 8,5% total de cheques compensados. Em comparação com 2020, houve queda de 23,7%.

Houve uma pequena queda no número de cheques que foram devolvidos ao longo do último ano, sendo que foram 13,6 milhões no ano passado, um recuo de 20,6% contra 2020, quando foram 15,2 milhões retornados.

Pessoas físicas e jurídicas que não aceitam cheque

Aliás, as lojas hoje já utilizam a placa em frente “Não aceitamos cheque”. Nos shoppings a maioria das lojas exibem essa plaquinha.

E assim como o Brasileiro deixou de andar com dinheiro físico, deixou de emitir cheques e também muitos jovens nunca viram um toca disco de vinil muito nunca viram um cheque.

Tudo isso tem a ver com a chegada dos novos meios de pagamento através de canais digitais (internet e mobile banking), que atualmente são responsáveis por 67% de todas as transações feitas no País. E no Brasil essa expressão máxima é o pix.

Entenda sobre a Febraban

A Federação Brasileira de Bancos é a principal entidade representativa dos bancos brasileiros e a sua sede está localizada na cidade de São Paulo. Objetivo do Febraban como representa em seu site é representar seus associados em todas as instâncias do Poder-Público- Executivo, Legislativo e Judiciário e entre outras entidades representativas da sociedade.

Folha Sudoeste


Leia Este

Salário mínimo vai chegar a 1.294?

Salário mínimo vai chegar a 1.294?

A última previsão estima que em 2023 o Salário mínimo vai chegar a R$ 1.294, …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *