fbpx
Fim de cobrança extra da conta de luz deverá reduzir em até 6,5%, afirma o mercado

Fim de cobrança extra da conta de luz deverá reduzir em até 6,5%, afirma o mercado

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na última quarta-feira (6) o fim da bandeira de escassez hídrica, que já estava em vigor desde setembro do ano passado. Também foi anunciado a volta da bandeira verde na conta de luz já a partir do próximo dia 16, o que marca uma antecipação em relação ao prazo esperado para a troca da bandeira, que inicialmente estava marcada para acontecer no final do mês.

Segundo as contas do Governo Federal, a conta de luz poderia ter uma redução de até 20% com o final da cobrança de taxa extra que estava bancando o funcionamento de termoelétricas. Porém essa não é a expectativa apontada pelos membros do Mercado, essa queda do preço deverá ser menor por conta dos reajustes das distribuidoras que vão ser estabelecidas ao longo dos próximos meses.

Afinal, até quando os reajustes podem chegar?

A PSR, que é a maior consultora de energia do país, estima que na média, os reajustes vão chegar a no máximo 15%. Já computados os aumentos tarifários em 2022, a redução média na conta de luz do consumidor residencial deverá chegar a até no máximo 6,5%.

Além dos efeitos que vão representar um alívio para os consumidores, o fim da cobrança da bandeira extraordinária poderá levar a uma desaceleração da inflação a partir do mês de maio. Desde agosto de 2021 quando a cobrança da bandeira iniciou, ela foi uma das medidas estabelecidas pelo Governo Federal com o intuito de evitar as falhas no fornecimento de energia que estava se agravando com a chegada da crise hídrica.

O que estava programado para o dia 30 de abril, representou até este momento uma cobrança adicional de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts por hora. Em um cenário ainda mais diferente, pois tivemos um período de chuva que foi o suficiente para garantir a recuperação dos reservatórios, com o Governo descartando a possibilidade de prorrogar a cobrança adicional ou mesmo com a criação de um patamar extraordinário.

Esforço de todos os órgãos do setor elétrico foi fundamental para este momento

Graças aos esforços de todos os órgãos do setor elétrico, foi possível superar o maior desafio que era o risco de falta de energia, este que foi totalmente afastado. Os reservatórios estão muito mais cheios do que no ano passado, com os usos múltiplo de águas tendo sido reservados.

Para muitos executivos do mercado financeiro, a cobrança mais cara da tarifa de energia elétrica já poderia ter sido suspensa a alguns meses, levando em conta o cenário positivo das chuvas. Também nos últimos meses, o Governo Federal tem adotado um valor limite em relação a quantidade de usinas térmicas que se encontram em operação.

O sistema de bandeiras foi instituído em 2015. Na prática, as cores verde, amarela ou vermelha acabam indicando se haverá cobrança ou não em relação as contas de luz e o seu valor final. O patamar para o mês de maio será até o dia 29 de abril. Com o fim da cobrança da bandeira extraordinária, é bem possível que haja uma desaceleração na inflação até o próximo mês.

Folha Sudoeste


Leia Este

Salário mínimo vai chegar a 1.294?

Salário mínimo vai chegar a 1.294?

A última previsão estima que em 2023 o Salário mínimo vai chegar a R$ 1.294, …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *